Pesquisar este blog

Carregando...

17 de janeiro de 2008

Roubar, matar e destruir!

Abra a sua Bíblia e acompanhe comigo. No livro de João, no capítulo 10 Jesus Cristo disse:

"Em verdade, em verdade vos digo: quem não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador. Mas o que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre; e as ovelhas ouvem a sua voz; e ele chama pelo nome as suas ovelhas, e as conduz para fora. Depois de conduzir para fora todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz; mas de modo algum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos. Jesus propôs-lhes esta parábola, mas eles não entenderam o que era que lhes dizia. Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta; se alguém entrar a casa; o filho fica entrará e sairá, e achará pastagens. O LADRÃO NÃO VEM SENÃO PARA ROUBAR, MATAR E DESTRUIR; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Mas o que é mercenário, e não pastor, de quem não são as ovelhas, vendo vir o lobo, deixa as ovelhas e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora, o mercenário foge porque é mercenário, e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas".

Roubar, matar e destruir... verbos atribuídos ao diabo e com muita razão. Ele, o senhor das trevas, acompanhado de hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes (principados, potestades, príncipes deste mundo), especialistas em enganar o homem, roubá-lo, matá-lo e destruí-lo.

Sim, sabemos que estes seres fazem isso... e muito!
Nós, os que estão ao lado de Cristo, pelo contrário, prezamos o AMOR, fruto do Espírito Santo em nossas vidas. ALEGRIA, PAZ, LONGANIMIDADE, BENIGNIDADE, BONDADE, FIDELIDADE, MANSIDÃO, DOMÍNIO PRÓPRIO....
Bem diferente de roubar, matar e destruir.

Ora, mas por que estou dizendo o óbvio?

O motivo que me levou a escrever a você hoje veio pelo hábito verificado de que muitos irmãos no Senhor, sim, reprovam essas coisas (roubar, matar e destruir) mas curiosamente se divertem com elas.

Como???

Repare. Há tempos a igreja evangélica brasileira não reprova mais a TV ao evangélico. Falar mal hoje contra a televisão virou coisa de "pastor ignorante e ultrapassado". Mas ela continua e de forma muito pior hoje em dia, a exibir roubos, mortes e destruição. Não, não estou falando dos telejornais. Estou falando de DIVERSÃO, ENTRETENIMENTO. Tempo que hoje, muitos evangélicos passam curtindo filmes e animações, desde a TV, passando pelo DVD, até o cinema e vídeo-games. Simplesmente pelo fato de "ser ficção" caem os limites. As "barreiras bíblicas" deixam de valer, porque afinal de contas é tudo mentirinha... então pode!

Pode mesmo?

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas". (1Co:6.12)

Ora, por que não é conveniente?

Hoje em dia em um filme, se ninguém roubar, se ninguém matar e ninguém destruir, este filme é uma exceção à regra!!! É um filme sem graça!
Para fazer sucesso e alcançar grandes bilheterias quanto maior o "roubo", o "número de mortos" ou a "importância do assassinato" ou "indentidade do assassino" e quanto "maior a destruição", maior o êxito do filme.

Um filme considerado como "bom" hoje em dia é aquele que exibe uma grande catástrofe, uma desgraça em grande escala, um "exterminador", um "assassino com sangue frio", um "assalto bem feito", ou ainda, todos esses ingredientes no mesmo filme e com efeitos especiais!

"Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que põem as trevas por luz, e a luz por trevas, e o amargo por doce, e o doce por amargo!"
(Isaías 5.20)

O interesse pelo filme deixou de ser a vitória do bem sobre o mal, mas a "aparência do mal", as montagens, a maquiagem, a produção, os monstros e demônios "atraentes" aos espectadores. Quanto mais bizarro melhor.

O mesmo vale para os cenários e enredos de jogos de vídeo-games. Se não for "demoníaco", é bobo e infantil.

"Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus".
(Mt 18.3)

Livros, peças de teatro, filmes, seriados, novelas e animações em sua grande maioria tem vítimas e homicidas, ladrões e destruidores, vingadores, enganadores, adúlteros, fornicários...
E nós curtimos, gostamos, pagamos, aplaudimos a "obra-prima", o "espetáculo".

Imagine os discípulos de Jesus convidando-o para uma "apresentação" por um dos lugares onde o Mestre passou, onde algumas pessoas, em um teatro ao ar livre, fingiriam matar outras, e outras roubariam, enganariam, mentiriam para tirar vantagem, etc... tudo é claro, ficção! Tudo montado para "divertir" e "entreter" as pessoas. Jesus aceitaria?

Iria relaxar e aproveitar a peça? Se ainda garoto, já preocupava-se com as coisas do reino???

"Respondeu-lhes Ele (o menino Jesus ao ser encontrado por sua mãe após "sumir"): Por que me procuráveis? Não sabíeis que eu devia estar na casa de meu Pai?" (Lc 2.49)

Imagine se Jesus que nos mandou orar sem cessar, e vigiar em todo o tempo, por não sabermos o dia nem a hora de seu retorno, se Ele interromperia seu ministério para ‘alegrar-se’ deste modo...

E nós? Não somos imitadores de Jesus? Não deveríamos seguir seus passos, seu exemplo?

Alguém já disse e com razão: Aqui (a Terra) não é nosso campo de descanso, de lazer, mas campo de batalha!

Para citar um só exemplo: estes dias a Rede Globo transmitiu o filme “O Justiceiro”, alguém viu?
A cada 5 minutos uma morte violenta na tela. Com direito a atropelamento de mãe e filho pequeno.

Roubar, matar e destruir. Se você acha isso engraçado ou interessante, experimente ouvir as histórias de quem já viu de perto e sofreu na pele, com roubos, mortes ou destruição.

"Ô meu, deixa de ser radical. É ficção (mentira)! Kikitem?"

"Vós tendes por pai o diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira". (João 8.44)

Certa vez ouvi o Pr. Silas Malafaia dizer algo interessante: a indústria de Holywood gasta milhões de dólares por filme, para financiar, para serem investidos em MENTIRAS. E em seguida perguntou: "E nós, evangélicos, quanto estamos dispostos a investir para propagar a VERDADE?" Ele falava aqui de dízimos e ofertas a serem alçadas para o crescimento da obra de Deus.

Fico por aqui, sendo que poderia estender-me ao abranger por exemplo a feitiçaria, também ingrediente corriqueiro nos filmes atuais.

É claro que a decisão de assistir ou não determinado filme cabe a cada um. Não proponho nenhuma cruzada contra a TV ou o cinema, apenas um rigor maior em nossas escolhas (a começar por mim), te lembrando que um programa inédito sempre será um elemento-surpresa para você. Ou seja, você não faz idéia do que passará diante de seus olhos.

E como já citei em artigos anteriores...

"A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo terá luz. Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas!" (Mt 6.22-23)

A solução pode ser fácil. Um evangelista, amigo meu, em conversa sobre este assunto, bateu a mão em meu ombro e me disse: “Ricardo, Ricardo... eu trabalho o dia todo em um emprego secular, estou sempre estudando e ainda tenho tantos afazeres na Casa de Deus... Eu lá tenho tempo para gastar vendo televisão?”

Tenha um bom dia.


Ricardo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...