Translate

24 de janeiro de 2008

Miserável homem que sou...

"Agora, porém, não sou mais eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?"

Apóstolo Paulo
Rm 7:17-24

Sabemos da inclinação humana ao pecado. Sabemos também que embora crentes evangélicos, somos dessa natureza, apesar de, ao contrário da maioria das pessoas, temos em nosso consciente que devemos evitá-lo ao máximo.

Somos conhecedores em quão somos falhos. E como a carne está sempre tentando sobressair-se. Pois não é de se admirar, tanto que o próprio apóstolo dos gentios sofria desse mal: o Espírito X Carne.

No mundo há duas classes de pessoas:
As que pecam deliberadamente e até exaustivamente sem preocupações, pois não tem consciência do pecado ou não se importam, não têm temor a Deus e...

...as que esforçam-se por não pecar, pois são tementes, portanto pecam menos.

"Aquele que é nascido de Deus não peca habitualmente; porque a semente de Deus permanece nele, e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus".
1 Jo3.9

Se alguém diz que não peca, mente.

Ele não pode continuar no pecado, isto é, viver pecando, mas estar imune, isento de pecar, não acredito que consiga por muito tempo. O único que passou pela Terra sem pecar uma única vez foi Jesus, o homem divino, o Deus-humano. Deixemos a hipocrisia de lado. Quem não peca em atos, peca na língua, quem não peca na língua, peca em pensamentos. Motivo este que se faz necessário o arrependimento diário aos pés da Cruz. Pedir perdão ao Senhor, antes de ser uma regra espiritual, nos remete ao reconhecimento de nosso estado e condição diante do Criador: somos vulneráveis, necessitados e fracos. Precisamos DELE. Tal humilhação diante do SENHOR ao contrário de nos depreciar, nos exalta.

"Se morrestes com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos sujeitais ainda a ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques, não proves, não manuseies (as quais coisas todas hão de perecer pelo uso), segundo os preceitos e doutrinas dos homens? As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria em culto voluntário, humildade fingida, e severidade para com o corpo, mas não têm valor algum no combate contra a satisfação da carne".
Col 2.20-23

Religiosidade, regras, usos e costumes, podem até se encaixar bem em uma comunidade cristã, no entanto não nos impedirão de pecar. Conta-se uma estória em que um escorpião pediu carona ao sapo da lagoa para a atravessar, no que o sapão desconfiado pediu que o escorpião lhe garantisse que não o iria picar. Só depois da promessa assegurada, o sapo permitiu que o escorpião montasse em cima dele. Então o sapo pulou na primeira pedra. Tudo bem. Pulou na segunda. Ok, sem problemas, mas quando foi pular na terceira o escorpião o picou instintivamente, ao passo que o sapo quase escorrega e não chega à terceira pedra. No que este reclamou ferozmente indignado com seu passageiro, ao passo que o escorpião lhe pediu desculpas, pois embora houvesse prometido, essa era sua natureza...

Quando entregaram a Jesus uma mulher apanhada em "flagrante adultério" gostariam que a mesma fosse apedrejada por sua transgressão. Jesus, porém, inclinando-se, começou a escrever no chão com o dedo. Mas, como insistissem em perguntar-lhe, ergueu-se e disse-lhes:

"Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra. E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra. Quando ouviram isto foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos, até os últimos; ficou só Jesus, e a mulher ali em pé. Então, erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém senão a mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu te condeno; vai-te, e não peques mais".
Jo 8.3-11

Somos loucos para condenar. É muito mais fácil e cômodo apontar os defeitos alheios do que enxergar os nossos próprios defeitos. Parece gratificante ver alguém errar, o que dá uma falsa impressão que estamos acima dessa pessoa. Só porque "naquele momento" não somos nós que estamos no banco dos réus. Julgar os outros, falar mal dos outros chega até mesmo a ser um prazer para muitos. "E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho?"
Mt 7.3

"Mas, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados; quando, porém, somos julgados pelo Senhor, somos corrigidos, para não sermos condenados com o mundo."
I Co 11.31-32

Resistir é nossa missão. Afinal diz a Bíblia que não há tentação humana maior do que possamos suportar. RESISTÊNCIA, resistir ao diabo, para ele fugir de nós.
Pecamos?
Sem dúvida!
Queremos pecar?
Não!

"Aquele que perseverar até o fim, esse será salvo"
Mt 10.22

Durante a segunda guerra mundial, famosa foi a Resistência Francesa à ocupação pela Alemanha de Hitler. Inconformados em serem expulsos de suas casas, terem suas esposas tomadas pelos alemães, e até serem torturados e mortos, muitos franceses se organizavam contra aquela situação, guerreando até o fim pela causa. É isso mesmo que você entendeu: servir ao SENHOR significa ir contra nossa própria natureza, nadar contra a maré, ser diferente, não se conformando com o mundo como ele está, logo, não é fácil ser obediente, não é fácil ser "bíblico" todo dia, se não temos que matar um leão por dia, temos que orar para que Deus feche a boca dele.

Faça como Jean Claude Van Dame: Desistir nunca! Render-se Jamais! hehehe..
Para quem não gostou da citação do astro do cinema (risos), oraremos então com Davi:

"Não te lembres do pecado da minha mocidade, nem das minhas transgressões; mas, segundo a tua misericórdia, lembra-te de mim, pela tua bondade, ó Senhor. Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim".

Acredito que um cristão autêntico busca uma vida de santidade, foge do pecado (o que não é covardia), aborrece o mal, não se orgulha de suas iniquidades (e sim tem vergonha delas), e está sempre orando em busca de misericórdia e forças para agradar o Senhor.

Desde que me converti, tenho vivenciado batalhas constantes entre o que "quero ser" contra o "que sou", entre o "quero fazer" e o "que faço", entre o ESPÍRITO e a CARNE.
Assim também o é com milhares de cristãos espalhados pelo mundo. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de Jesus.

"Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, JESUS CRISTO, o justo".
1Jo 2.1

Graça e Paz.

Tenha um bom dia!
E bom feriado (para quem está em São Paulo)

Ricardo

4 comentários:

Faculdade Teológica disse...

Parabens muito bom seu Post!!!!
Abs!
Faculdade Teológica

Faculdade de Teologia disse...

muito boa sua postagem!!!!
Abs!
Faculdade Teológica

Ezequias Anacleto disse...

Muito bom.

Parabéns pelo Blog. Deus te abençoe!

Ezequias Anacleto
http://consistenciacrista.blogspot.com/

Renilson e Rebeca disse...

Shalom da paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Deus continue usando com as palavras de vida e salvação.
amei o post!
passa no meu depois e comenta o que achou também!
Ass:Renilson Souza.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

+ Notícias

Loading...